segunda-feira, 25 de julho de 2011

AMY WENT BACK TO BLACK

No sábado, dia 23/07/11, a cantora inglesa Amy Winehouse partiu dessa para uma melhor.

Para alguns, o que realmente chamava atenção era sua vida repleta de escândalos e de polêmicas relativas a abuso de “substâncias” e episódios de violência (perdemos a conta de quantas vezes ela foi presa por bater em alguém ou por posse de drogas).

Para outros, porém, Amy se destacou por sua voz, fazendo lembrar as grandes divas do jazz.

Há quem afirme que o talento dela não era essa _______ (insira aqui o nome de sua marca de geladeira ou refrigerante a base de cola preferidos) toda, mas, como o assunto principal deste blog é tradução, vamos ao que realmente interessa:

Assim que a morte de Amy foi anunciada, todos os canais de televisão passaram a transmitir suas respectivas “homenagens”. Clipes, shows, documentários, entrevistas com ela, com o pai, o cachorro, enfim, todo o pacotão a que estamos acostumados quando alguma celebridade morre. Entre esses programas, foi exibido o show de 2007 no Shepherd’s Bush Empire, em Londres (vocês encontram esse show no DVD I told you I was trouble, distribuído pela Universal Music). As músicas tinham legendas e uma tradução nos chamou a atenção durante o hit Back to Black:


We only said goodbye with words
I died a hundred times
You go back to her
And I go back to
We only said goodbye with words
I died a hundred times
You go back to her
And I go back to
Black, black, black, black
Black, black, black...
I go back to
I go back to

Para o trecho You go back to her/And I go back to black, a legenda trazia o seguinte: “Você volta para ela e eu volto pro breu”.  


Na hora ficamos pensando se “breu” seria a palavra mais adequada para transmitir a ideia de um lugar para onde vai uma mulher que foi largada pelo amante ou trocada por outra. Mas, pesquisando em alguns dicionários de português, notamos que nenhum dos significados de “breu” tem qualquer relação com a letra da música.

Na verdade, a expressão back to black tem mais um sentido de voltar para um lugar de tristeza, algo como entrar numa fossa, numa depressão ou em um luto (no caso, pelo fim de um relacionamento). Ela quis dizer que foi para um black place, isto é, um lugar sombrio, triste, dentro de si mesma (e não para um "breu"!).

Curiosamente, o cantor Neil Young gravou em 1979 uma música chamada Hey Hey My My onde usou o termo black para falar da “escuridão”, do “nada”, ou seja, da "morte" (and once you're gone, you can't come back / when you're out of the blue and into the black). 

Nesse sentido, até podemos dizer que agora a Amy foi realmente back to black...

(Assista neste link a uma versão ao vivo de Back to Black)

Nenhum comentário:

Postar um comentário